Os 12 erros de gestão que podem acabar com seu negócio

O objetivo de todo empreendedor é eliminar erros de gestão e desenvolver um negócio impecável.

No entanto, ao tentar alcançar a excelência, muitos gestores acabam cometendo deslizes no planejamento, nas finanças e na coordenação das equipes.

Apesar de simples de lidar e corrigir ao observá-lo individualmente, os erros de gestão podem ser fatais para um empreendimento.

Atitudes como não explorar e expandir o conhecimento em diversas áreas, ter um planejamento que segue o padrão de outros negócios e não saber administrar o empreendimento são erros que podem levar o seu negócio à falência.

Para evitar que isso aconteça, acompanhe o blog de hoje e conheça quais são os erros de gestão mais comuns que não devem ser cometidos na sua empresa.

1 – Achar que um plano de negócios não é importante

Deixar o planejamento estratégico da empresa de lado é o primeiro grande erro do empreendedor.

Isso porque não ter um plano de negócios é como caminhar sem direção – um dos erros de gestão que afeta o futuro de todas as áreas da sua empresa.

É importante ter em mente que o plano de negócios não serve apenas para o começo da empresa, mas sim para todo o seu crescimento, devendo ser continuamente revisto.

2 – Deixar de estudar o mercado

Você precisa acompanhar o setor em que seu negócio está inserido, seja ele de vendas, prestação de serviços, alimentação ou industrial.

Para isso, você deve analisar três pontos principais: o cliente, a concorrência e os fornecedores/parceiros.

É preciso conhecer o cliente, visto que o comportamento dele muda muito rápido. Além disso, analisar o concorrente é importante para saber o que ele está fazendo de novo.

Estreitar o relacionamento com os fornecedores é fundamental para estabelecer um vínculo de troca, e não de dependência.

3 – Não enxergar o negócio em sua realidade

O otimismo exagerado pode fazer com que o empreendedor tenha expectativas irreais sobre o negócio, sem estudá-lo com atenção e sem investir em melhorias.

E o contrário também acontece, quando o empreendedor subestima o potencial da empresa e, por ter uma demanda superior, acaba não atendendo-a.

A solução é estudar a ideia, perguntando para potenciais clientes e grupos de interesse do negócio se eles comprariam ou investiriam no produto ou serviço oferecido.

4 – Ignorar a necessidade do capital de giro

Não se preocupar com o capital de giro é não negligenciar as despesas fixas do seu negócio, como o aluguel de todos os meses.

Essa falta de preocupação fica clara quando o empreendedor acha que está vendendo muito, mas todos os pagamentos a receber serão a prazo, por exemplo.

Para Fabiano Nagamatsu, consultor do Sebrae de São Paulo, a alternativa para quem não se prepara é “negociar com o parceiro ou fornecedor para seguir o mesmo prazo do pagamento combinado com o cliente”.

5 – Ter despesas desnecessárias

Quem vai empreender precisa entender que o melhor a fazer é evitar despesas supérfluas, como um aluguel ou equipamentos que estão acima do orçamento.

É indispensável pensar se tudo o que você vende irá pagar os custos dessas aquisições, principalmente em momentos de crise.

De acordo com Rose Mary Almeida Lopes, coordenadora do núcleo de empreendedorismo da ESPM, o ideal é melhorar as instalações apenas depois da entrada de receita.

6 – Perder o foco em épocas de crise

Em momentos de crise como o atual, sua empresa pode não vender mais como vendia em outras épocas. Mas a solução não é sair atirando para todos os lados e querer vender o que estiver ao seu alcance.

O ideal é focar no seu produto e nas soluções que sua empresa pode oferecer, atendendo às necessidades do público de uma maneira especial.

Com isso, você conquista espaço e posicionamento, podendo inovar dentro do seu próprio nicho.

7 – Tratar o dinheiro da empresa como se fosse seu

O primeiro passo para um planejamento financeiro empresarial é separar as despesas da empresa das despesas pessoais.

Se você acha que o pagamento é definido de acordo com o tamanho das suas despesas pessoais, está agindo sem disciplina financeira e pode comprometer o seu negócio.

Para calcular realmente o quanto se deve ganhar, Fabiano Nagamatsu recomenda pensar em quanto você pagaria para um funcionário que realiza o mesmo serviço que o seu.

8 – Querer atuar na informalidade

Ainda no assunto financeiro, outro erro de gestão é negligenciar o pagamento de impostos e de direitos trabalhistas – que, além de tudo, é ilegal.

Uma empresa informal, que vive fugindo da fiscalização, pode perder várias oportunidades de fomento.

Isso fica claro pois atualmente, a tendência é apoiar o microempreendedor e as pequenas empresas. Mas, para que as entidades saibam da existência da sua empresa, é preciso pagar impostos, se declarar e se formalizar.

9 – Não contratar e nem investir em bons funcionários

Na hora de formar um time para sua empresa, procure pessoas que saibam trabalhar em equipe.

Além disso, é preciso também encontrar uma equipe que se adeque ao perfil do empreendimento.

E mais do que isso: depois de ter uma equipe formada, é a hora de investir em treinamentos e condições favoráveis de trabalho, valorizando cada funcionário.

Segundo Fabiano Nagamatsu, “a empresa pode ter muitos funcionários, mas, se não há um mínimo de condições, de segurança inclusive, eles não são produtivos”.

10 – Não ter um olho atento aos dados

É preciso olhar para os pontos que são críticos a todo negócio, como o lucro.

Para Rose Mary Almeida Lopes, é preciso “calcular muito bem o custo, saber o que está pagando de impostos e também averiguar se a margem de lucro vale a pena”.

Por isso, é preciso ter informações sobre seus produtos, sobre o atendimento e sobre seus consumidores e, assim, elaborar estratégias empresariais.

Esses dados servem de apoio para orientar os trabalhos e indicar os pontos críticos de melhoria e de sucesso.

11 – Apresentar uma imagem negativa do negócio

Há empreendedores que supervalorizam seus serviços e não cumprem o que prometem, enquanto outros não mostram o grande potencial que o negócio tem.

Para divulgar a sua empresa da maneira certa, invista em estratégias comunicação que conectem o seu público à mensagem.

Valorize os pontos fortes do seu negócio na divulgação, apostando no que o seu cliente precisa e no que é atrativo aos olhos desse público.

12 – Entrar em desespero

Seja por falta de preparação ou por desequilíbrio emocional, muitos empreendedores sofrem de insegurança, o que prejudica a tomada de decisões no negócio.

A instabilidade leva à ansiedade, que pode ser evitada por dois pontos, de acordo com Nagamatsu: ter informações e não querer abraçar o mundo.

“Quanto mais informação o empreendedor tiver em relação à sua empresa e ao mercado, mais seguro ele ficará. Ele também deve entender seu perfil; se ele não é bom em algo, deve contratar um especialista que viabilize a tarefa.

O empreendedor muitas vezes quer ser bom em tudo, e isso não é possível. Aí, ele entra em desespero”.

Os erros de gestão apresentados nesse post são fundamentais para sua empresa evitar e prosperar no futuro! Reduza as falhas, invista em resultados e confie no potencial do seu negócio.

 

Referência de conteúdo: Mariana Fonseca, Revista Exame.